4 dicas para tornar seu apartamento sustentável | Blog Corporativo MRV Engenharia -€“ Mercado Imobiliário e lançamentos de apartamentos e casas

Encontre seu imóvel

4 dicas para tornar seu apartamento sustentável

08 abril 2017

É cada vez mais comum a busca por mudanças de hábito que sejam positivas para a sua família e  para o bolso. Entre elas, a conscientização sobre a importância de um apartamento sustentável vem aumentando.

Pequenas mudanças na sua rotina podem ser o que falta para você economizar, ajudar a natureza e ter mais qualidade de vida. Por isso, reunimos neste post 4 dicas para você incorporar no seu imóvel e impactar positivamente o meio ambiente. Confira!

A escolha correta de lâmpadas traz benefícios econômicos e podem deixar o ambiente menos quente. Foto: Decorado Parque Bellagio, Bauru.

1. Utilize lâmpadas LED

A iluminação do seu apartamento tem um papel muito importante na ambientação dos espaços: além de deixar mais aconchegantes e confortáveis, ela influencia diretamente na sua conta de energia.

Por isso, a escolha correta do tipo de lâmpada para o seu lar pode ser responsável por uma maior economia e também por diminuir os impactos ambientais. As lâmpadas LED, por exemplo, têm ganhando cada vez mais espaço em projetos de inúmeras residências.

Isso porque, ao contrário das fluorescentes e incandescentes, o LED têm um baixo consumo de energia, maior potência, não emitem calor — o que ajuda a deixar o clima da sua casa mais ameno, especialmente no verão —, não oferecem risco de explosão e são ecologicamente corretas.

2. Separe o lixo para um apartamento sustentável

A reciclagem reduz, de maneira muito significativa, a quantidade de lixo que produzimos e que agride ao meio ambiente quando descartado. Mas, para que isso aconteça, é preciso que façamos nossa parte e ajudemos a separar o lixo em nossas casas.

Especialmente porque grande parte dos resíduos sólidos gerados nos lares podem ser reaproveitados. Para separar o lixo doméstico, divida os resíduos entre recicláveis e orgânicos, sobras de alimentos, etc.

Entre os materiais que podem ser reciclados, coloque em sacos diferentes plásticos, vidros, metais e papéis. Lembre-se sempre: pilhas e baterias não podem ser descartadas, devendo ser devolvidas aos fabricantes ou depositados em coletores específicos.

3. Prefira eletrodomésticos com classificação “A”

Ao comprar novos eletrodomésticos, fique atento aos selos do PROCEL (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e da ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação Energética) que informam para você se aquele produto é ou não mais econômico.

Este último, em especial, descreve o consumo médio do aparelho para que você possa comparar com outros exemplares de outras marcas e está presente desde ventiladores a refrigeradores.

Além disso, ele etiqueta cada eletrodoméstico de acordo com uma classificação: A, B, C, D, E, F e G, sendo A, o mais eficiente e que gasta menos energia e G o seu oposto.

A princípio você pode até não achar que faz diferença escolher baseado nessas informações, porém, o impacto econômico acontece em longo prazo não apenas para você, no seu apartamento, como para o país.

4. Compre apenas produtos eco-friendly

Na hora de ir às compras, dê preferência por produtos que sejam eco-friendly, isto é, aqueles que são amigavelmente ecológicos. Eles têm despontado cada vez mais como alternativas sustentáveis para diminuir o impacto ambiental, já que buscam eliminar ou minimizar os efeitos nocivos à natureza.

Esses itens são produzidos com insumos naturais e biodegradáveis, e podem ser encontrados nas prateleiras do supermercado ou em shoppings nas mais diferentes opções, como: produtos limpeza ou higiene, vestuário, peças de cama, mesa e banho, etc.

Ter um apartamento sustentável é possível, e é uma maneira eficiente de você moldar o seu consumo no dia a dia, causando menos impactos ao meio ambiente e economizando muito mais.

E você, gostou das nossas dicas? Conte pra gente nos comentários qual delas você pretende implementar primeiro no seu lar!

Deixe seu comentário *Campos de preenchimento obrigatório